Ações europeias recuam após dados fracos nos EUA e no Reino Unido

As ações europeias fecharam em baixa nesta sexa-feira, com dados econômicos no Reino Unido e nos Estados Unidos prejudicando o humor, mas suporte técnico e estímulos de bancos centrais em andamento mantiveram índices em suas máximas em meses.

Reuters

18 de janeiro de 2013 | 15h13

O índice FTSEurofist 300, que reúne os principais papéis do continente, recuou 0,09 por cento para 1.164 pontos.

A perspectiva para o crescimento global sofreu um golpe após uma surpreendente queda nas vendas do varejo no Reino Unido. O recuo exerceu peso sobre as expectativas para 2013, enquanto nos EUA o sentimento do consumidor sofreu uma inesperada deterioração pelo segundo mês consecutivo para seu menor nível em quase um ano.

Os indicadores cortaram o fôlego do setor varejista e reduziram os ganhos no setor de mineração, que avançou após dados da China mostrarem que o crescimento econômico acelerou pela primeira vez em dois anos seguidos em dezembro.

"Nós tivemos os dados bons sobre a China e balanços razoáveis nos EUA que serviram de apoio. Acredito que os mercados podem subir ainda mais, mas faltam pontos de estímulo", disse o chefe de estratégia de portfólio do Brewin Dolphin, Guy Foster.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em alta de 0,36 por cento, a 6.154 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,43 por cento, para 7.702 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,07 por cento, para 3.741 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 0,19 por cento, para 17.554 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 retrocedeu 0,29 por cento, para 8.604 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 encerrou em alta de 0,59 por cento, para 6.254 pontos.

(Reportagem de David Brett)

Mais conteúdo sobre:
BOLSAEUROPAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.