Ações no Egito despencam após decreto de presidente

Os valores das ações no Egito despencaram neste domingo, com o principal índice do mercado caindo quase 10 por cento na primeira sessão de negócios desde que o presidente Mohamed Mursi iniciou uma crise política por expandir seus poderes.

Reuters

25 de novembro de 2012 | 10h14

Os preços tiveram a sua maior queda desde março de 2011, quando o mercado reabriu após a revolta popular que derrubou Hosni Mubarak.

"Nós não somos o mesmo Egito. Os investidores sabem que as decisões de Mursi não serão aceitas e que ocorrerão conflitos nas ruas", afirmou Osama Mourad, da corretora Arab Financial.

O órgão que representa a magistratura do Egito pediu uma greve imediata no sábado em todos os tribunais e gabinetes em protesto contra o decreto do presidente ampliando seus poderes.

Os poderes especiais autoatribuídos por Mursi despertaram a ira da oposição e motivaram violentos protestos no Cairo e em outras cidades na sexta-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
EGITOACOESCAEM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.