Acordo de comércio com Colômbia pode 'morrer', diz Bush

Presidente dos EUA disse estar decepcionado com a presidente do Congresso.

Da BBC Brasil, BBC

14 de abril de 2008 | 16h30

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, disse nesta segunda-feira que a proposta de acordo de livre comércio com a Colômbia estará "morta" a não ser que seja examinada o mais rápido possível.O presidente americano apresentou a proposta na semana passada.Bush pediu à presidente da Câmara dos Representantes, a democrata Nancy Pelosi, para discutir uma votação iminente para o acordo, afirmando que há "muita decepção a respeito da ação da presidente sobre o acordo de livre comércio com a Colômbia".A Câmara cancelou uma cláusula que pedia a votação dentro de 60 dias, o que torna improvável que esta votação ocorra antes das eleições de novembro."Este acordo de livre comércio é bom para os trabalhadores e consumidores americanos. E este acordo de livre comércio faz parte dos interesses do país", disse Bush."Ainda assim, a lei estará morta a não ser que a presidente agende uma votação definitiva. Esta é uma medida sem precedentes e não é do interesse de nosso país decepcionar um aliado como a Colômbia e não encorajarmos a venda de nossos produtos e serviços em outros países."OportunidadesA Casa Branca alega que o acordo de livre comércio com a Colômbia, se for aprovado, trará benefícios reais em termos de segurança e para a economia.Mas os democratas discordam e afirmam que o governo não está fazendo o bastante para fornecer apoio aos trabalhadores americanos cujos empregos poderão ser ameaçados por um acordo como este.Os democratas também se preocupam com o nível de violência contra integrantes de sindicatos na Colômbia.Nancy Pelosi criticou o governo por apresentar a proposta antes de tratar de pontos importantes, incluindo como diminuir os ataques contra trabalhadores organizados na Colômbia.Os pré-candidatos democratas Barack Obama e Hillary Clinton são contra o acordo de livre comércio com a Colômbia, da maneira como foi proposto, e atacaram a proposta publicamente nas últimas semanas.O presidente Bush disse que o acordo vai aumentar as oportunidades para os Estados Unidos, pois remove barreiras de exportação e fortalece as relações dos Estados Unidos com o país, um aliado regional dos americanos.A proposta de acordo de livre comércio é uma das muitas que o Congresso americano está analisando. Há também propostas de livre comércio com a Coréia do Sul e com o Panamá, que serão deixadas numa espécie de "limbo" se não forem aprovadas antes das eleições de novembro nos Estados Unidos.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.