Acordo defende lanche saudável nas particulares

O Ministério da Saúde e a Federação Nacional de Escolas Particulares firmaram ontem um acordo para tornar mais saudáveis os lanches vendidos nas cantinas nas unidades de ensino.

BRASÍLIA , O Estado de S.Paulo

05 Abril 2012 | 03h03

A ideia é que, com a parceria, os colégios passem a seguir diretrizes que tratam desde as condições sanitárias dos espaços onde a comida é preparada e vendida até a orientação sobre como montar um cardápio variado, com menos itens que levam sódio, gordura e açúcar. "Não se trata de simplesmente abolir a coxinha", afirmou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

Com o acordo assinado, a federação e ministério estudam mecanismos para reconhecer escolas que seguem as diretrizes propostas pelo governo. A cartilha já é seguida na rede pública de ensino de todo o País.

"Estamos convencidos de que hábitos alimentares são formados também na escola. Daí a necessidade dessa iniciativa", afirmou Padilha. / L.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.