Acusações marcam último debate da eleição de Salvador

O último debate na televisão entre os candidatos que disputam a Prefeitura de Salvador em segundo turno foi marcado por acusações de incompetência, de traição e de negligência. O resultado foi a repetição de um "programa" que o telespectador já vinha assistindo nos últimos dois meses. Walter Pinheiro (PT) e João Henrique Carneiro (PMDB) levaram para o estúdio TV Bahia (Rede Globo) o mesmo clima que envolveu a campanha desde o primeiro turno. O momento mais tenso aconteceu no terceiro dos cinco blocos do debate, quando o João Henrique chegou a chamar Walter Pinheiro de "cara de pau," ao responder ao adversário sobre problemas na saúde municipal, pasta que foi gerida pelo PT durante o governo de coalizão. No primeiro bloco do debate, que durou vinte minutos, os candidatos realizaram duas perguntas cada um, sobre temas de livre escolha. Pinheiro questionou o atual prefeito por quê ainda não concedeu a autorização para o Governo do Estado iniciar a construção do hospital no Subúrbio Ferroviário, região da cidade que reúne vários bairros populares. João respondeu que "a culpa é da administração estadual, que não providenciou a documentação necessária". Na verdade, a construção do hospital se transformou numa queda-de-braço entre o Governo do Estado e a Prefeitura, desde o início do segundo turno.todo o País, inclusive em cidades do interior da Bahia, mas não declarou apoio à sua candidatura." Pinheiro argumentou que "Lula está em todas as propostas de campanha, pois a minha candidatura foi discutida com ele." O presidente evitou se envolver pessoalmente com as eleições em Salvador, onde candidatos de dois partidos de sua base aliada disputam a prefeitura. Nos blocos seguintes os candidatos trataram ainda de temas relacionados ao programa Bolsa Família, Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano de Salvador, segurança pública, geração de emprego, cultura, educação e transporte. João Henrique chegou à TV Bahia em companhia da mulher, deputada estadual Maria Luiza (PMDB), do candidato a vice, Edvaldo Brito (PTB) e de assessores. Pinheiro estava acompanhado da candidata a vice, Lídice da Mata (PSB), do secretário estadual de Comunicação, Robinson Almeida, do ex-ministro Waldir Pires, do presidente da Infraero, Sérgio Galdenzi e do deputado federal Nelson Pelegrino (PT). (Reportagem de Augusto Cesar Barrocas)

REUTERS

25 de outubro de 2008 | 09h44

Tudo o que sabemos sobre:
ELEICAOBADEBATE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.