Acusada de envenenar criança pega 36 anos de prisão

A auxiliar de laboratório Siumara de Castro Santana, de 27 anos, moradora em Apucarana, no norte do Paraná, foi condenada em júri popular, na madrugada de hoje, a 36 anos de prisão, sob acusação de ser a mentora da morte por envenenamento de um menino de quatro anos e ter tentado matar a mãe da criança, da mesma forma. Os advogados alegaram que ela agiu sob "forte emoção" e o objetivo não era a morte, mas dar um "susto". Os advogados de defesa e a Promotoria ainda analisam possíveis recursos.

EVANDRO FADEL, Agencia Estado

21 de março de 2009 | 12h54

Siumara já estava presa desde outubro de 2004, quando o crime foi cometido. Segundo as acusações, ela mantinha um relacionamento com o pai do menino Gustavo Enrique Vogler Ribeiro e não se conformou quando ele rompeu. Para se vingar, teria mandado um achocolatado com raticida para a escola em que a criança estudava. O menino tomou a bebida e acabou morrendo no dia seguinte, internado em um hospital. De acordo com o processo, Siumara também mandou uma cesta com alimentos envenenados para a mãe do menino, mas ela desconfiou e não comeu.

Mais conteúdo sobre:
crimePRenvenenamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.