Acusado de copiar filme ilegalmente apresenta-se no Rio

O homem apontado como autor da cópia ilegal do filme Meu Nome Não é Johnny, com o ator Selton Mello, atualmente em cartaz, apresentou-se na tarde de hoje na Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Propriedade Imaterial (DRCPIM), em Realengo, na zona oeste do Rio. Segundo a assessoria da Polícia Civil, o vendedor de roupas Sérgio Vítor Rocha decidiu procurar a polícia ao saber que fora identificado e que estava prestes a ser preso. Rocha foi autuado por violação de direito autoral e apologia à prática do crime. No fim da gravação pirata, ele aparece com notas de dinheiro sobre o rosto, dizendo que pirataria não é crime, e sim meio de sobrevivência. De acordo com o delegado Ângelo Ribeiro, Rocha afirmou ter feito a reprodução de dentro de uma das salas do cinema do Shopping Nilópolis Square, em 12 de janeiro. Quanto à mensagem inserida no fim da cópia, o vendedor de roupas a justificou como um "ato de imaturidade". Para encontrar Rocha, os policiais infiltraram-se entre comerciantes do mercado popular de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, onde ele trabalha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.