Acusado de crime em MG ficará preso só por 13 dias

Um rapaz acusado de espancar até a morte um taxista para roubar menos de R$ 100 e um telefone celular vai passar 13 dias preso e deixará a cadeia com a ficha limpa. José Rogério Ferreira de Souza foi detido por estar ilegalmente nos Estados e voltou nesta quarta-feira ao Brasil, onde é acusado do latrocínio junto com outros dois suspeitos já condenados e que atualmente cumprem pena.

MARCELO PORTELA, Agência Estado

11 Abril 2012 | 21h20

O problema é que Souza teria cometido o crime ainda menor e volta ao Brasil a 13 dias de completar 21 anos, idade limite prevista pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) para que adolescentes condenados a medidas socioeducativas fiquem presos. O rapaz vai ser levado sexta-feira (13) a Teófilo Otoni, no Vale do Rio Doce mineiro, e será liberado no dia 25.

O taxista Heraldo de Souza, de 68 anos, foi espancado até a morte por três passageiros em setembro de 2008. O crime ocorreu em um local ermo na zona rural do município e o corpo foi encontrado já em estado de decomposição. A polícia chegou ao local graças ás indicações de Valdiney Leal de Souza, o "Tintim", então com 20 anos. Ele assumiu que estava no táxi com Oesdres Pereira da Silva, que na ocasião tinha 18 anos, e José Rogério, que ainda era menor. Os dois maiores foram condenados a 29 anos de prisão, cada.

Mais conteúdo sobre:
assassinatotaxistaprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.