Acusado de matar franceses é condenado a 52 anos

O 3º Tribunal do Júri do Rio condenou hoje o último acusado de ter participado das mortes dos franceses Christian Pierre Doupes, de 38 anos, a mulher dele, Delphine Claudie Douyère, de 36, e Jérôme Marie Marc Faure, de 42, integrantes da Organização Não-Governamental (ONG) Terr''Ativa, em fevereiro de 2006, em Copacabana, na zona sul da capital fluminense. José Michel Gonçalves Cardoso foi condenado a 52 anos e dois meses de prisão por homicídio triplamente qualificado e furto. A mesma pena foi aplicada ontem a Luiz Gonzaga Gonçalves de Oliveira.O juiz Sidney Rosa da Silva alegou na sentença que, apesar de serem réus primários, Cardoso e Oliveira demonstraram ter uma mente sádica, "não ficando qualquer dúvida de que eles são pessoas frias e calculistas que devem ser retiradas do meio social com uma pena exasperada, a fim de refletir sobre sua conduta". Foi ressaltado ainda por Silva o fato de o crime ter deixado órfão de pai e mãe uma criança de 2 anos, filho do casal assassinado.

TALITA FIGUEIREDO, ESPECIAL PARA AE, Agencia Estado

14 de dezembro de 2007 | 20h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.