Acusado de participar da chacina da Chatuba é preso

Policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Cidade de Deus, na zona oeste do Rio, prenderam Bruno Magno Benedito da Silva, o Neguinho da CDD, de 21 anos. Ele é acusado de envolvimento na chacina da Chatuba, em Mesquita, na Baixada Fluminense, ocorrida em setembro do ano passado. Na ocasião, seis jovens que teriam sido confundidos com traficantes foram assassinados.

MARCELO GOMES, Agência Estado

22 de janeiro de 2013 | 11h53

Os PMs da UPP faziam um patrulhamento de rotina na Cidade de Deus quando desconfiaram do rapaz e o levaram A 32ª Delegacia de Polícia (Taquara), onde foi constatado que ele estava foragido da Justiça desde outubro.

Além de Bruno da Silva, a Justiça decretou a prisão preventiva de outras 13 pessoas por participação na chacina. Todos foram denunciados pelo crime de homicídio triplamente qualificado - por motivo torpe, mediante tortura ou outro meio insidioso ou cruel, e com recurso que dificulte ou torne impossível a defesa da vítima.

Na tarde de 8 de setembro de 2012, um sábado, os acusados teriam sequestrado e assassinado os jovens Glauber Siqueira Eugênio, Victor Hugo da Costa e Douglas Ribeiro da Silva, de 17 anos; Josias Searles e Patrick Machado de Carvalho, de 16; e Christian de França Vieira, de 19, na localidade conhecida como Bicão, no interior do Parque Natural de Gericinó (que faz divisa com a Favela da Chatuba, em Mesquita).

Os criminosos seriam traficantes ligados à facção Comando Vermelho, que controla os pontos de venda de drogas da Chatuba. As seis vítimas teriam sido confundidas com traficantes de uma facção rival. Os corpos dos seis rapazes foram encontrados apenas na manhã de 10 de setembro, segunda-feira, às margens da Rodovia Presidente Dutra (BR-116), na altura do bairro São José, em Nova Iguaçu, também na Baixada.

Durante as investigações, a Polícia Civil afirmou que os criminosos da Chatuba também seriam responsáveis pelas mortes de mais três pessoas naquele fim de semana: o pastor Alexandre Lima, o cadete da PM Jorge Augusto de Souza Alves Júnior, de 34 anos, e de José Aldecir da Silva Júnior, de 19.

Mais conteúdo sobre:
Chatubaacusadoprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.