Acusados de matar franceses em ONG serão julgados nesta 3ª

Assassino de casal e de funcionário da ONG no Rio cometeu o crime para despistar desvio de R$ 80 mil

Solange Spigliatti, do estadao.com.br,

30 de outubro de 2007 | 10h38

Os acusados de assassinar três franceses integrantes da ONG Terr'Ativa, em fevereiro de 2007 no Rio de Janeiro, serão julgados nesta terça-feira, 30. O julgamento de Társio Wilson Ramirez, Luiz Gonzaga Gonçalves de Oliveira e José Michel Gonçalves Cardoso será realizado no 3º Tribunal do Júri da Capital.Segundo a denúncia, os franceses Christian Pierre Doupes, sua mulher, Delphine Claudie Douyère, e Jérôme Marie Marc Faure, de 42 anos, foram mortos com várias facadas, de forma cruel, e que impossibilitou suas defesas. O motivo teria sido a descoberta de um desvio de R$ 80 mil nas contas da instituição e o principal suspeito do assassinato é o funcionário Társio Wilson, de 25 anos. Ele teria planejado o crime e depois contratado Luiz Gonzaga e José Michel Gonçalves para se livrar dos corpos. Quando tinha 15 anos, Társio teria sido ajudado pela Terr'Ativa - que desenvolvia projetos com menores carentes no Rio. O filho de 2 anos do casal não foi morto porque estava no apartamento onde a família morava, no mesmo prédio em que funcionava a ONG, em Copacabana.Társio confessou na ocasião que estava dando desfalque na Terr'Ativa havia cerca de quatro anos e que trabalhava na instituição há oito anos. Delphine tinha a intenção de despedir Társio, pois havia descoberto os desfalques na conta da ONG. No dia do crime, foi roubado um cofre contendo bens e valores diversos. Os réus tentaram também incendiar o apartamento para não deixar provas do crime.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.