Acusados de matar psicóloga são julgados em SP

O julgamento de três acusados de envolvimento no assassinato de Renata Novaes Pinto, psicóloga da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) morta em 2008, começou na manhã de hoje. Por volta das 16 horas, a sessão no Fórum da Barra Funda ainda não havia terminado. Caso ela não se encerre hoje, deverá ser retomada amanhã.

MARCELA BOURROUL GONSALVES, Agência Estado

24 de outubro de 2011 | 17h15

O assassinato aconteceu em novembro de 2008, na Vila Madalena, zona oeste da capital paulista. A investigação policial apontou que o crime teria sido encomendado pelo marido de uma paciente que decidiu se separar durante o período das sessões. Renata foi morta aos 44 anos com três tiros na cabeça.

Entre os réus estão José Neudes, apontado como o homem que contratou uma dupla para perseguir a psicóloga. João Nilton da Silva teria a função de matar a vítima e Claudemir Rossi teria recebido R$ 2 mil em dinheiro para dirigir a moto no dia do crime.

Mais conteúdo sobre:
julgamentomortepsicóloga

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.