Adiado júri de acusados de matar ganhador da Mega

A Justiça do Rio adiou para o dia 28 de novembro o julgamento de Adriana Ferreira de Almeida e de outros três acusados de matar o ganhador da Mega Sena, René Senna, em 2007. O júri estava marcado para amanhã, mas o advogado da viúva do milionário apresentou atestado médico alegando a necessidade de repouso por 40 dias, em virtude de doença neurológica decorrente de um Acidente Vascular Cerebral.

PRISCILA TRINDADE, Agência Estado

03 de outubro de 2011 | 17h44

Na decisão, a juíza Roberta dos Santos Braga Costa, da 2ª Vara da Comarca de Rio Bonito determinou que Jackson Costa Rodrigues indique outro advogado para representar a ré, caso ele não esteja restabelecido até a nova data de julgamento. Se a defesa não cumprir a determinação, Adriana Ferreira será representada pela Defensoria Pública. A previsão é que o julgamento dure em torno de três dias.

Além de Adriana, serão julgados a professora de educação física Janaína Silva de Oliveira, melhor amiga da viúva; o sargento PM Ronaldo Amaral de Oliveira, o China; e o cabo PM Marco Antônio Vicente. Os ex-seguranças da vítima, o ex-policial militar Anderson Silva de Sousa e o funcionário público Ednei Gonçalves Pereira, foram condenados em julho de 2009, a 18 anos de reclusão, cada um, por assassinato e furto qualificado.

O ex-lavrador René Senna, que era deficiente físico, ganhou sozinho o prêmio de R$ 51,8 milhões em julho de 2005. No ano seguinte, ele, então com 53 anos, se casa com a cabeleireira Adriana Almeida, de 28 anos. No dia 7 de janeiro de 2007, ele foi morto com quatro tiros de pistola à queima-roupa quando tomava cerveja em um bar em Rio Bonito.

Segundo denúncia do Ministério Público, os disparos foram efetuados por Anderson Silva, marido de Janaína Silva. Depois do crime, ele fugiu na garupa de uma motocicleta dirigida por Ednei Gonçalves. Para o MP, Adriana Ferreira Almeida, mulher de René, foi a mandante do crime.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.