Adolescente acusado de estuprar irmã de quatro anos diz que mãe era 'paranóica'

Meninos de 13 e 15 anos estão sendo julgados em Birmingham; o mais velho também é acusado de estuprar outra irmã.

BBC Brasil, BBC

24 de junho de 2010 | 05h45

Um adolescente acusado de estuprar a irmã de seis anos de idade em Birmingham, na Inglaterra, disse que sua mãe era "paranoica" porque brigava com os filhos quando os via a sós com a menina no quarto.

O réu, de 13 anos, é acusado junto com seu irmão de 15 de abusar da criança repetidas vezes entre os anos de 2006 e 2009. Os abusos teriam começado quando ela tinha quatro anos de idade.

O julgamento dos dois está em andamento. Ambos negam as acusações.

O adolescente de 13 anos disse que a mãe agia como uma "paranoica" porque ralhava cada vez que via os filhos a sós com uma das irmãs no quarto.

"Quando eu brincava com uma das minhas irmãs no quarto ela vinha e me dizia: 'Vocês não podem ficar só os dois no mesmo quarto'", disse o adolescente.

"Acho que ela deve ser paranoica."

O irmão mais velho também foi acusado de ter estuprado a outra irmã, agora com dez anos de idade.

Abusos

O caso veio à tona pela mãe, cujo nome não foi revelado, que entrou em contato com assistentes sociais quando a filha mais nova, hoje com sete anos de idade, revelou ter sido apalpada de forma indecente pelo irmão.

Os jurados assistiram a uma entrevista gravada com a menina na qual ela descreve os abusos enquanto brinca com um trenzinho.

A menina contou ao policial que um dos irmãos a atacou 15 vezes e o outro, pelo menos dez vezes.

Na semana passada a irmã mais velha, hoje com dez anos de idade, disse ao júri que também foi molestada duas vezes.

O irmão mais velho responde por duas acusações de estupro e quatro de abuso sexual de criança. Já o irmão mais novo enfrenta duas acusações de estupro e duas de abuso sexual.

Nenhum dos envolvidos teve seu nome revelado.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.