Adolescente alemã é mantida em cativeiro por anos na Bósnia

Uma adolescente alemã foi resgatada do cativeiro de um casal bósnio acusado de espancá-la e fazê-la passar fome por anos, além de prendê-la a arreiros de uma charrete para puxá-la.

REUTERS

27 Maio 2012 | 11h42

A adolescente de 19 anos, mantida em uma aldeia na cidade de Kalesija no nordeste do país de 2004, foi salva, e o casal foi preso para investigação, segundo informaram promotores públicos neste domingo.

Damir Arnautovic, um porta-voz da promotoria em Tuzla, disse à Reuters que o estado físico e psicológico da mulher era ruim e que ela não tinha documentos. Ela não foi identificada.

Ele disse que Milenko Marinkovic, de 52 anos, e sua mulher Slavojka, de 45, foram detidos sob a suspeita de tratar a mulher de forma desumana, "proibindo-a de qualquer contato com pessoas, proibindo-a de frequentar a escola".

A mãe da alemã foi casada com Marinkovic, apesar de a mulher ter outro pai. A sua mãe ainda vive na aldeia e disse aos repórteres que estavam lá para irem embora.

Arnautovic disse que a mãe foi interrogada pela polícia como testemunha e que sua participação estava sendo investigada.

Cazim Makalic, o vizinho que avisou a polícia, disse que a mulher era forçada a fazer trabalhos pesados e que tinha hematomas e cicatrizes.

Makalic testemunhou que Marinkovic prendia a garota em uma charrete e obrigava-a a puxar o veículo com ele e seus amigos sentados nele, enquanto a chicoteava, ele disse.

"Eu não podia mais vê-los batendo nela e a fazendo passar fome", contou.

(Reportagem de Muhamed Kahrimanovic)

Mais conteúdo sobre:
ADOLESCENTEALEMAESCRAVIZADA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.