Adriano garante Fla na boa e mantém o Bota na degola

Na casa do rival, atacante faz o gol da vitória e volta a liderar artilharia

Leonardo Maia, RIO, O Estadao de S.Paulo

26 de outubro de 2009 | 00h00

A expectativa de público não se confirmou. Apesar de 25.192 ingressos terem sido vendidos, só 22 mil torcedores presenciaram a vitória do Flamengo por 1 a 0 sobre o Botafogo, ontem à noite, no Engenhão. Talvez os cambistas tenham ficado no prejuízo, mas o rubro-negro saiu no lucro. Com 51 pontos, está a apenas três do líder Palmeiras e próximo do G-4. O alvinegro está de volta à zona do rebaixamento, com seus 32 pontos.

O gol do Flamengo, mais uma vez, foi de Adriano, seu 16º na competição - divide a artilharia com Diego Tardelli, do Atlético-MG. "Não jogamos tão bem, mas o importante são os três pontos. Estamos na briga (pelo título), mas temos de melhorar algumas coisas", apontou Adriano.

Antes da partida torcidas organizadas do Flamengo entraram em conflito na entrada sul do Engenhão. A polícia precisou agir energicamente para conter os torcedores, recorrendo até ao uso de gás pimenta. Alguns torcedores ficaram feridos, sem gravidade.

O jogo começou equilibrado. Mas o Flamengo tinha Adriano para fazer a diferença. Aos 31, ele arrancou da intermediária, passou por Juninho e Wellington, e finalizou com a canhota, abrindo o marcador.

Sem outra alternativa que não buscar a virada, o técnico Estevam Soares sacou o volante Batista e lançou Victor Simões, ficando com quatro atacantes em campo. Do outro lado, Petkovic saiu machucado.

O Botafogo melhorou, mas desperdiçou a chance do empate. O juiz marcou pênalti questionável de Aírton em André Lima. Lúcio Flávio cobrou, Bruno se antecipou e defendeu.

Passado o susto, o Flamengo tentou diminuir o ritmo, tocando a bola para aliviar a pressão alvinegra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.