Advogada é livre para deixar Suíça, esclarece Itamaraty

O Itamaraty esclareceu hoje que não há qualquer limitação para que a advogada Paula Oliveira deixe a Suíça. De acordo com o Itamaraty, a advogada não é ré de qualquer ação. Até porque, conforme a assessoria do Ministério das Relações Exteriores, não há uma ação penal em curso. O que existe até agora, segundo o Itamaraty, é uma investigação policial para o esclarecimento da suposta agressão que teria sofrido de um trio de neonazistas em uma estação de trem nos arredores de Zurich, no último dia 9. O Itamaraty reafirmou que continuará a dar "proteção" e "atenção" à cidadã brasileira.

NÉLIA MARQUEZ, Agencia Estado

16 de fevereiro de 2009 | 20h31

Tudo o que sabemos sobre:
Suíçaviolênciaadvogada

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.