Aécio diz que faltou parceria do governo federal para evitar crise da água em SP

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, disse nesta segunda-feira que faltou parceria do governo federal para evitar a crise de abastecimento de água no Estado de São Paulo, após sua adversária no segundo turno da eleição, a presidente Dilma Rousseff, do PT, usar o tema em sua propaganda de TV.

REUTERS

20 de outubro de 2014 | 18h02

O Estado de São Paulo enfrenta em 2014 a pior crise hídrica dos últimos 80 anos. Temperaturas mais altas que a média do início do ano aliadas com chuvas fracas do período não recuperaram as represas para o atual período do inverno, quando a pluviosidade normalmente é significativamente menor, levando algumas regiões a sofrerem com a falta d'água.

"Talvez tenha faltado uma parceria maior com o governo federal", disse o presidenciável tucano, durante visita ao Santuário Nossa Senhora da Piedade, na região de Caeté (MG).

Dilma usou a crise de abastecimento de água em São Paulo, Estado governado desde 1995 pelo PSDB, em sua propaganda eleitoral e disse que o problema é um exemplo do modelo tucano de governar que, segundo ela, Aécio não só defende como representa.

Em resposta à petista, Aécio elogiou a política adotada pelo governador paulista Geraldo Alckmin, reeleito em primeiro turno na eleição deste ano, de dar bônus aos consumidores que economizarem água e criticou o que chamou de "aparelhamento" da Agência Nacional de Águas, responsável por regulamentar o setor.

"Se não tivesse o governo do PT servido a outros fins, nós lembramos bem, quais foram as indicações e os critérios adotados para ocupar cargos na ANA, ela poderia ter sido uma parceira maior do governador (Alckmin)", afirmou.

(Por Eduardo Simões)

Mais conteúdo sobre:
ELEICOES2014AECIOAGUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.