Aécio lança programa de governo em partes a partir desta 2ª-feira

O candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, começa a lançar seu programa de governo a partir desta segunda-feira de forma fatiada pela Internet, com a participação dos coordenadores das diferentes áreas do texto.

REUTERS

29 Setembro 2014 | 17h23

"A nossa proposta, construída a muitas mãos --centenas de pessoas foram envolvidas nisso--, começa hoje a ser divulgada", disse Aécio a jornalistas em São Bernardo do Campo, região metropolitana de São Paulo, nesta segunda.

"É um programa, que ao contrário dos outros que fazem diagnóstico e apresentam um conjunto de boas intenções, nós estamos falando de propostas, de propostas exequíveis, de propostas que a partir de 1º de janeiro eu começarei a colocar em prática."

Segundo o tucano, seu programa de governo terá uma premissa --"as liberdades individuais e coletivas, a liberdade de imprensa e a liberdade de opinião".

O primeiro dos quatro eixos do programa do PSDB a ser divulgado com comentários do coordenador Fábio Feldmann, no Facebook nesta noite, será o da sustentabilidade, que tratará da área ambiental, questão urbana e mobilidade.

O segundo eixo abordará da questão do Estado brasileiro, o terceiro a Cidadania e o quarto o desenvolvimento econômico, com a participação do ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga, que já foi anunciado como ministro da Fazenda se Aécio for eleito.

SUBSÍDIOS

Durante a entrevista em São Bernardo, Aécio também afirmou que discutirá os subsídios à indústria, principalmente os concedidos às montadoras.

"Aqueles que tiverem efeito, que forem positivos para a vida do trabalhador, obviamente têm que ser mantidos, mas não da forma como vem sendo feita hoje, onde alguns amigos do poder são beneficiados, enquanto o trabalhador, o cidadão é penalizado", disse.

(Por Maria Carolina Marcello)

Mais conteúdo sobre:
ELEICOES2014AECIOPROGRAMA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.