África Central diz que revisará contratos de mineração

O novo presidente da República da África Central, Michel Djotodia, cujas forças rebeldes tomaram o controle da capital Bangui no último final de semana, disse nesta sexta-feira que o seu governo vai rever contratos de mineração e de petróleo assinados com o governo anterior.

Reuters

29 de março de 2013 | 15h55

Perguntado sobre petróleo e licenças de mineração concedidas a empresas chinesas e sul-africanas pelo presidente deposto Francois Bozize, Djotodia disse "Eu perguntarei aos ministros se as coisas foram mal feitas, para tentar repará-las".

Outros países do continente africano, como a Guiné, estão revisando contratos e regras no setor de mineração.

Embora a República da África Central tenha jazidas de ouro, diamantes, petróleo e urânio, os recursos minerais continuam inexplorados, e a nação é uma das mais pobres do planeta.

"Contamos com a União Europeia para ajudar-nos a desenvolver este país", disse Djotodia, acrescentando que cerca de 80 por cento da ajuda externa do país veio do bloco.

"Quando estivemos doentes, a União Europeia estava ao nosso lado. Não vai nos abandonar agora".

(Reportagem de Ange Aboa)

Tudo o que sabemos sobre:
METAISAFRICACONTRATOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.