AGCO espera crescimento de vendas no país com ajuda do PSI

A AGCO, fabricante e distribuidora de máquinas agrícolas, espera ter um crescimento de vendas de 5 por cento no Brasil em 2012, com o impulso do crédito governamental, disse nesta disse nesta quarta-feira o vice-presidente sênior e gerente-geral para América do Sul, André Müller Carioba.

Reuters

21 de novembro de 2012 | 12h17

Segundo ele, a perspectiva de crescimento é apoiada no PSI (Programa de Sustentação do Investimento), uma linha de crédito oferecida pelo banco de fomento BNDES.

"Vemos um impacto muito positivo especialmente neste último trimestre para a indústria, em outubro e novembro e um dezembro atípico, por causa do PSI", disse Carioba a jornalistas. "Normalmente, temos férias coletivas mais cedo, mas este ano vamos trabalhar até perto do Natal para atender esta demanda."

O executivo avaliou também que o Brasil está perdendo competitividade nas exportações de máquinas e equipamentos agrícolas devido a um aumento dos custos locais, problemas logísticos e tributos.

O crescimento da empresa no país nos próximos anos deverá ocorrer na área de colhedoras e equipamentos para cana e também na armazenagem de grãos, fora do tradicional setor de tratores, concluiu Carioba.

(Reportagem de Fabíola Gomes)

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSAGCOBRASILATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.