Agricultor paulista adere ao programa Pró-Trator

Governo do Estado assinou convênio no início de dezembro e [br]até agora já recebeu mais de 1.600 pedidos

Niza Souza, O Estado de S.Paulo

07 Janeiro 2009 | 02h33

Em um mês, as Casas de Agricultura de São Paulo protocolaram cerca de 1.600 pedidos para adesão ao Programa Pró-Trator, que vai financiar máquinas com 20% de desconto e sem juros para pequenos e médios produtores rurais em todo o Estado. Apesar de ter sido anunciado em abril do ano passado, o programa só foi colocado em prática no início de dezembro, depois da assinatura do convênio entre o governo do Estado e o banco Nossa Caixa.Conforme o secretário de Agricultura do Estado, João Sampaio, somente na primeira semana foram mais de 650 pedidos, ou seja, mais de 10% dos 6 mil tratores previstos para serem financiados pelo programa. "Foi uma surpresa recebermos tantos pedidos logo na primeira semana. A previsão era de que os 6 mil tratores durassem dois anos. Mas se continuar neste ritmo vamos atingir a meta antes disso."O programa faz parte do Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista (Feap) e conta com seis concessionárias parceiras: Agrale, Agritech, Valtra, Massey Ferguson, John Deere e CNH. Podem ser financiados tratores entre 50 e 120 cavalos.O programa vai beneficiar produtores que obtêm no mínimo 80% da renda bruta anual com a atividade agropecuária, limitada a R$ 400 mil por ano (perfil do Feap). O prazo para pagamento é de até 5 anos e a carência é de até 3 anos, dependendo da atividade agrícola e do projeto técnico.Para aderir ao programa o produtor interessado deve procurar a Casa de Agricultura ou Escritório de Desenvolvimento Regional (EDR) do município e pedir uma análise para enquadramento no programa, que é feita pela Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati). Depois, o produtor terá 30 dias para apresentar a proposta para análise de crédito na Nossa Caixa. Se aprovado, o banco emitirá a carta de crédito para o produtor apresentar na revenda de uma das concessionárias parceiras. INFORMAÇÕES: Cati, tel. (0--19) 3743-3700

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.