Água imprópria mata quatro crianças por minuto, diz UNICEF

A falta de acesso à água potável afeta diariamente a vida das famílias brasileiras. Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios, de 2002, do IBGE, cerca de 22,6 milhões de brasileiros não têm acesso à água potável."Doenças transmitidas pela água contaminada matam uma criança a cada 15 segundos (no mundo), e estão relacionadas a outras doenças e à maioria dos casos de desnutrição no planeta", disse Ann Veneman, diretora executiva do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).De acordo com relatório do UNICEF Situação Mundial da Infância, de 2005, o local de residência, a renda familiar e a raça ou a etnia podem influenciar no acesso das famílias brasileiras à água potável e ao saneamento, o que propicia ou não o aparecimento de doenças.Meninos e meninas que vivem no Piauí, por exemplo, têm 48,2 vezes mais risco de não ter acesso à água potável do que crianças que vivem em São Paulo. Crianças negras e indígenas têm três vezes menos chance de acesso à água potável do que as brancas. As iniqüidades entre pobres e ricos também influencia. Segundo o estudo, quase 35% da população mais pobre não tem acesso à água potável, enquanto isso acontece em apenas 0,5% dos domicílios da população mais rica.

Agencia Estado,

22 de março de 2006 | 19h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.