Água rica em fitoplâncton reduz custo de produção

O sucesso da criação de peixes no Tietê é atribuído à temperatura e à qualidade da água. "A temperatura gira em torno de 26 a 29 graus, ideal para a tilápia, por estimular precocidade e o crescimento", diz o engenheiro aquícola Bernardo Sardão. Mas, segundo ele, para dar lucro, a fazenda tem de estar em local que proporcione bastante troca de água para garantir a oxigenação. "Os tanques-rede não podem ficar à mercê das mudanças climáticas, como vento, e é importante o piscicultor manter o controle do metabolismo da tilápia, porque quando a temperatura aumenta o peixe se alimenta ainda mais e pode haver perda de oxigênio e consequente aumento da mortandade." Para José Eduardo Pereira, a água do Tietê, além da temperatura, tem outra vantagem. "É uma água adubada, rica em fitoplâncton, que serve de proteína para os peixes. Isso reduz a quantidade de ração e diminui o custo de produção." O peixe também se fortalece com essa alimentação natural. "A mortandade na minha fazenda é de 5%, índice que considero pequeno até mesmo em comparação com rios de outras regiões, que teoricamente têm águas mais limpas que as do Tietê." / C.S.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.