Águia de Ouro aposta em arranjo de surdo

A Águia de Ouro entra no Anhembi com alguns pingos de chuva e aposta no "arranjo de surdo de primeira de Mangueira" para conquistar os jurados no lugar da paradinha. A informação é do Mestre André, famoso diretor da Mocidade Independente de Padre Miguel, criador das paradinhas, efeito musical que surgiu nos anos 60. "Queremos repetir o mesmo sucesso do ano passado. Só que dessa vez não tem paradinha. Só alguns arranjos", disse ele, à imprensa, durante a concentração.

ALINE BRONZATI, Agência Estado

02 Março 2014 | 03h42

Para o presidente da Águia de Ouro, Sidnei Carriuolo Antônio, o título de campeã do carnaval de São Paulo está "entalado na garganta". No ano passado, a escola só não levou o título por conta de penalidade aplicada ao estourar o tempo de apresentação no sambódromo. "Nada vai nos atrapalhar. Que na avenida a justiça seja feita. Vamos levar esse título que está entalado na garganta. Temos a obrigação de fazer um carnaval melhor do que o do ano passado", destacou ele, durante mensagem aos componentes, antes da entrada da escola. A Águia homenageia neste ano o povo baiano ao contar a história do compositor, cantor, violonista, pintor e ator Dorival Caymmi, que se estivesse vivo completaria seu centenário em abril.

Mais conteúdo sobre:
carnaval 2014Águia de Ouro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.