Alckmin decidirá onde cortar, diz secretário

O secretário de Planejamento do Estado de São Paulo, Julio Semeghini, afirmou nesta quarta-feira que o governador Geraldo Alckmin tem a alternativa de tirar recursos de investimentos para custear a revogação do aumento das tarifas de transporte. "Ele tem autonomia de trabalhar em R$ 9 bilhões de investimento", disse.

CARLA ARAÚJO E GUSTAVO PORTO, Agência Estado

19 de junho de 2013 | 19h01

Semeghini afirmou que o dinheiro que custeará a revogação das tarifas deverá vir de algumas obras que estavam previstas, mas que atrasaram ou ainda não começaram e podem ser postergadas. "Estamos fazendo um levantamento de que obras poderão ser essas. A decisão será do governador (Geraldo Alckmin)", afirmou.

Segundo o secretário, esse dinheiro não será retirado de pastas como Saúde, Educação e Habitação, pois essas áreas têm um orçamento já carimbado que não pode ser alterado.

Semeghini também disse ser difícil que o governador decida postergar ou cancelar obras relativas à mobilidade urbana, como a expansão do metrô, pois elas são "prioridade para o governo".

Tudo o que sabemos sobre:
tarifasSPSemeghini

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.