Alckmin diz que não tolerará vandalismo em ato desta 2ª

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou na manhã desta segunda-feira, 23, que a polícia não admitirá vandalismo no protesto marcado para hoje à tarde, na capital. "Manifestação não há nenhum problema, é legítimo. O que não pode ter é ato criminoso, que é depredação de patrimônio público e privado e vandalismo. Isso não vai ser alterado", afirmou Alckmin, durante visita a obras do governo do Estado, em Nova Odessa, no interior do Estado.

RICARDO BRANDT, Agência Estado

23 Junho 2014 | 16h17

O governador afirmou que a Polícia Militar já tem estratégia preparada para o ato. Alckmin voltou a dizer que houve avanços nas investigações sobre os envolvidos no quebra-quebra da quinta-feira passada, na zona oeste de São Paulo, durante protesto organizado pelo Movimento Passe Livre (MPL). "Super avançou. Mas vamos deixar que a policia no momento adequado (informe sobre o caso) para não prejudicar as investigações fale", desconversou o governador. Dois dias antes, o tucano havia afirmado que buscaria a responsabilização dos envolvidos.

Mais conteúdo sobre:
protestoCopaSPAlckmin

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.