Alckmin diz que não vai mudar cúpula de Segurança

O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou nesta quarta-feira (14) que não irá fazer alterações na cúpula da Secretaria de Segurança Pública em São Paulo em razão da onda de violência que está ocorrendo na capital paulista. O governador afirmou também, ao sair do evento de abertura da 7ª Olimpíada do Conhecimento, no pavilhão do Anhembi, que a parceria com o governo federal está em plena execução.

GUSTAVO PORTO, Agência Estado

14 de novembro de 2012 | 13h33

Ao falar da parceria com o governo federal, o tucano lembrou que já foi feita a transferência do preso Francisco Antonio Cesário da Silva, o Piauí, para Porto Velho, e que os programas em curso nesta parceria estão sendo executados. "O Instituto de Criminalística, por exemplo, já tem os dados para criar um laboratório do DNA das drogas e a agência de atuação integrada já está trabalhando com toda a informação", disse Alckmin.

O governador, no entanto, recusou-se a comentar as declarações do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, proferidas terça-feira (13) na capital paulista de que preferiria morrer a passar muitos anos preso. Alckmin participou junto com a presidente Dilma Rousseff da abertura da 7ª Olimpíada do Conhecimento e, em seu rápido discurso, disse que o casamento entre a formação profissional com a educação é essencial para capacitar a mão de obra necessária para a indústria.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.