Alckmin: lei do desmanche reduzirá roubo de carro

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou nesta segunda-feira, 13, que a lei que diminui o número e regulamenta os desmanches no Estado reduzirá os roubos e furtos de automóveis. "Já aprovamos uma lei na Assembleia Legislativa para reduzir o número de desmanches ao mínimo necessário. Esses poucos que vão continuar, nós vamos legalizá-los", disse.

CARLA ARAÚJO, Agência Estado

13 de janeiro de 2014 | 14h37

Alckmin afirmou que a medida para reduzir e regularizar os desmanches deve mudar o cenário de roubos e furtos de carros. Com a nova lei, as empresas que atuam na compra de veículos para desmonte terão de ser responsáveis pela venda para o consumidor final - não poderão repassar essas peças para revendedores.

"Hoje, você desmancha uma moto em 20 minutos, então tem muito roubo para abastecer peças. Por isso, pode ter certeza que vai cair o roubo e furto de automóveis no Estado", afirmou, depois de participar da abertura da 41ª Feira Internacional de Calçados, Artefatos de Couro e Acessórios de Moda (Couromoda), que é realizada desta segunda-feira a quinta-feira, 16, na capital paulista. De acordo com ele, apesar de o número de roubos e furtos ter crescido no Estado, houve uma redução importante dos crimes contra a vida. "Em homicídios, temos hoje um dos menores indicadores do Brasil e também tivemos queda nos latrocínios", disse.

Assassinatos em Campinas

Alckmin comentou ainda os 12 assassinatos que aconteceram entre a noite deste domingo, 12, e a madrugada desta segunda em bairros de uma mesma região na periferia de Campinas, interior paulista. Os crimes aconteceram em locais diferentes, mas a Delegacia de Homicídios vai apurar se há relação entre as mortes. "A polícia já está trabalhando. As mortes foram próximas uma das outras. O dr. Grella (Fernando Grella Vieira, secretário de Segurança Pública do Estado) está pessoalmente neste trabalho", disse.

Mais conteúdo sobre:
DesmanchesAlckmin

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.