Alckmin nega redução de investimentos em metrô em 2014

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), negou que haverá redução de investimentos do Estado no metrô em 2014, apesar de o Orçamento do próximo ano prever cerca de R$ 1 bilhão a menos que o deste ano. "Não estamos tirando R$ 1 bilhão do (Metrô). O maior investimento no Orçamento será em mobilidade urbana, a maior parte para Metrô e para trens e os recursos vêm de financiamentos", justificou o governador.

GUSTAVO PORTO E FABIO LEITE, Agência Estado

01 Outubro 2013 | 19h33

Contabilmente o orçamento do Metrô no próximo ano sofreu uma redução de US$ 1 bilhão, mas o Estado deverá compensar essa baixa ao desembolsar cerca de R$ 1,2 bilhão em desapropriações previstas para as linhas 6-Laranja, 18-Bronze e 20-Rosa. Esse provisionamento aparece no orçamento estadual com a rubrica "apoio a PPPs", já que os gastos com desapropriações são a contrapartida do governo nas parcerias Públicos Privadas envolvendo obras do Metrô.

Ainda sobre o Orçamento de 2014, ele lembrou que a área de Educação segue como a maior fatia de recursos do governo, com 30% do Orçamento. Ele cita também o crescimento na área de Saúde, justamente a do seu possível adversário na disputa eleitoral em 2014, o ministro Alexandre Padilha, do PT.

Alckmin negou também que as verbas orçamentárias para a Saúde tenham caráter eleitoral. "Não tem a ver. Na medida em que vão ficando prontos, hospitais, Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs), e a rede Lucy Montoro, você gasta mais e é custeio", concluiu o governador.

Mais conteúdo sobre:
Orçamento SP 2014 metrô

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.