Alckmin 'vê com bons olhos' fusão de PSDB, DEM e PPS

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), admitiu nesta quinta-feira o debate sobre a fusão dos partidos de oposição PSDB, DEM e PPS.

REUTERS

28 Abril 2011 | 20h13

"É um tema a ser discutido: PSDB, DEM e PPS, os partidos de oposição, mas este é um assunto a ser aprofundado. Eu vejo com bons olhos, mas isso não tem pressa e não precisa ser feito agora, é uma discussão partidária", disse o Alckmin a jornalistas.

O governador rechaçou que o partido esteja em crise, apesar de tucanos terem abandonado a legenda.

"Não tem nada de crise. São naturais esses procedimentos que ocorrem, as pessoas têm liberdade", afirmou.

Na terça-feira, outro tucano, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, admitiu que há entendimentos sobre a fusão do PSDB com o DEM, mas não indicou se haverá esta união ou não.

Nos últimos dias, seis vereadores e o secretário de Esportes e Lazer do município de São Paulo, Walter Feldman, deixaram a legenda. Feldman, um dos fundadores do PSDB, acusou o grupo de Alckmin de discriminar integrantes do partido que deixaram de apoiá-lo na eleição municipal de 2008 e optaram por Gilberto Kassab, que saiu vencedor.

A candidatura de Kassab foi defendida na legenda pelo ex-governador José Serra, que atraiu integrantes de seu grupo para o apoio ao aliado que foi seu vice na prefeitura.

O prefeito anunciou em março a criação de uma nova legenda, o PSD, que tende a atrair os descontentes de DEM e PSDB. Até agora, os ex-tucanos não informaram seu futuro político.

(Reportagem de Carmen Munari)

Mais conteúdo sobre:
POLITICAALCKMINFUSAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.