Alerj vai investigar sumiço de garoto após ação da PM

A Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) vai acompanhar as investigações sobre o desaparecimento do estudante Juan, de 11 anos, durante uma operação da Polícia Militar (PM) em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O garoto sumiu após uma troca de tiros entre policiais e traficantes. Ele e o irmão foram feridos por balas perdidas.

AE, Agência Estado

24 Junho 2011 | 19h02

Wesley, de 14 anos, atingido no ombro e na perna, está internado no Hospital de Saracuruna, em Duque de Caxias. Ele confirma que viu o irmão ferido. O garoto está sob proteção da Polícia Civil a pedido da Comissão de Direitos Humanos. Os três policiais que participaram da ação negaram, em depoimento, terem visto o mais novo ferido. O delegado Rafael Ferrão, que investiga o caso, disse que novas testemunhas vão ser ouvidas.

Mais conteúdo sobre:
tiroteio PM menor sumiço Alerj

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.