Aliança PT-PMDB emperra no Pará

A terceira reunião entre as comissões do PT e do PMDB para tentar superar divergências e fechar alianças entre os dois partidos nos Estados terminou em impasse. O deputado Jader Barbalho (PMDB-PA) não compareceu ontem ao encontro marcado, na sede do PT, com a governadora do Pará, Ana Júlia Carepa, provocando constrangimento. Pré-candidato à sucessão da petista, Jader mandou um recado: só quer conversar com a cúpula do PT, não com a governadora, candidata ao segundo mandato.

Vera Rosa, O Estadao de S.Paulo

03 Dezembro 2009 | 00h00

O Pará integra a lista dos Estados onde o PT e o PMDB vivem às turras. Jader ajudou a eleger Ana Julia, nas eleições de 2006, mas está rompido com ela depois que seu grupo perdeu uma penca de cargos na Secretaria da Saúde. Reportagem publicada ontem pelo Estado informa que a Procuradoria da República em São Paulo requereu à Justiça Federal abertura de inquérito para "apurar cabalmente crimes de corrupção ativa e passiva" na construção de cinco hospitais no Pará.

Segundo a Procuradoria, a construtora Camargo Corrêa teria pago propina ao PT e ao PMDB. A investigação, no entanto, não identificou o período em que o dinheiro foi repassado.

Em conversas reservadas, Jader - que em 2001 renunciou ao cargo de senador, acusado de desvio de dinheiro - às vezes admite concorrer ao Senado. Afirma, porém, querer de volta os cargos perdidos. O problema é que ele não confia em Ana Júlia.

Uma nova reunião com o deputado foi marcada para terça-feira, novamente na sede do PT. Desta vez, porém, sem Ana Júlia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.