Alimentos que baixam colesterol agem melhor quando combinados

Os alimentos que podem baixar o colesterol como proteína de soja, amêndoas, margarinas enriquecidas com fitoesteróis, aveia e cevada podem ser mais eficientes quando combinados entre si, segundo um estudo coordenado pelo professor David Jenkins da Universidade de Toronto. A pesquisa, que está na edição atual da American Journal of Clinical Nutrition, também descobriu que entre as pessoas que aderiram à dieta (um terço do grupo de teste), a combinação de alimentos também reduziu o colesterol ruim de maneira semelhante à uma primeira dosagem de estatina. Jenkins e seus colegas prescreveram um cardápio, de sete dias, rico em fibras, proteína de soja, amêndoas e margarina enriquecida com fitoesteróis a 66 pessoas - com idade média de 59,3 e com níveis de colesterol mais altos do que o recomendado. Pela primeira vez, 55 participantes seguiram o cardápio sob condições reais por um ano. Eles mantiveram diários da dieta e se encontraram com a equipe de pesquisa a cada dois meses para discutir seus progressos e medir seus níveis de colesterol. Depois de 12 meses, mais de 30% dos participantes havia aderido com sucesso à dieta e tiveram seus níveis de colesterol reduzidos em mais de 20%. Esse índice pode ser comparado aos resultados atingidos por 29 dos participantes que tomaram estatina por um mês sob condições metabolicamente controladas antes de seguir a dieta no dia-a-dia. "As descobertas do estudo sugerem que uma pessoa comum pode fazer muito para melhorar sua saúde com uma dieta" disse Jenkins. "As pessoas interessadas em baixar seu colesterol deveriam provavelmente desenvolver um gosto por tofu ou mingau de aveia, mantendo na cabeça que alternativas portáteis se encaixam melhor à vida moderna. Guarde as experimentais para de noite, quando você terá mais tempo de preparar refeições mais complicadas". No futuro, os pesquisadores pretendem comparar diretamente os benefícios da dieta aos da estatina em indivíduos com risco de doenças cardiovasculares durante longos períodos. Eles também investigarão a introdução de mais gorduras monoinsaturadas na dieta.

Agencia Estado,

08 de março de 2006 | 15h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.