ALL tem prejuízo de R$2,4 mi no 1o trimestre

A operadora logística ALL teve prejuízo líquido de 2,4 milhões de reais no primeiro trimestre de 2012, revertendo lucro de 500 mil reais obtidos no mesmo período do ano passado, informou a companhia nesta segunda-feira.

REUTERS

14 Maio 2012 | 08h41

O Ebitda -sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização- totalizou 320,8 milhões de reais no intervalo, crescimento de 6,4 por cento em relação aos mesmos meses do ano passado.

"O Ebitda consolidado foi influenciado positivamente pelos resultados da Brado e da Ritmo, nossos novos negócios criados em 2011, e também impulsionado pelos maiores volumes da ALL Operações Ferroviárias no Brasil", informou a companhia em comunicado.

A margem Ebitda, por sua vez, recuou de 45,6 por cento para 41,7 por cento.

A receita líquida da ALL totalizou 768,5 milhões de reais no primeiro trimestre, crescimento de 16,2 por cento na comparação anual, em função do maior volume ferroviário e da contribuição dos novos negócios.

O volume da ALL Operações Ferroviárias no Brasil aumentou 7,6 por cento no primeiro trimestre, para 9.247 milhões de TKUs (toneladas por quilômetro útil). De acordo com a empresa, o crescimento de volume foi impulsionado por ganhos de participação de mercado no segmento agrícola e por melhorias na produtividade do material rodante.

Na Argentina, o volume caiu 4 por cento no primeiro trimestre, consolidando um aumento de volume na ALL Operações Ferroviárias de 6,7 por cento, alcançando 9.965 milhões de TKUs, segundo a empresa.

O yield -indicador do preço de tarifas- médio ferroviário no Brasil caiu 3,5 por cento entre janeiro e março na comparação anual, passando de 68,7 reais para 66,3 reais. "A redução reflete a pressão de preços de frete no mercado spot, já que a safra de grãos no Brasil deve cair 7,1 por cento, considerando a região de atuação da ALL", explicou a companhia.

(Por Carolina Marcondes)

Mais conteúdo sobre:
TRANSPORTES ALL RESULTS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.