Alpinista faz 'brincadeira' e aciona resgate com helicóptero na Escócia

Multado por causar tumulto, Paul Manchester disse que foi tomado por 'euforia' e não queria pregar trote.

BBC Brasil, BBC

17 Julho 2009 | 06h51

Um alpinista foi multado no equivalente a quase R$ 2 mil por uma "brincadeirinha" que colocou em marcha uma complexa operação de salvamento na Escócia.

Paul Manchester rabiscou a palavra "Help", ou "socorro", a quase mil metros de altitude, na neve que cobre o topo da montanha Slioch.

O serviço de emergência local respondeu ao falso chamado, mobilizando uma equipe de salvamento a pé e um helicóptero que sobrevoou a área em busca de vítimas, a um custo equivalente a quase R$ 17 mil.

O mal-entendido foi desfeito quando o alpinista encontrou o resgate a meio caminho do topo da montanha.

A Justiça de Dingwall multou Paul Manchester em 600 libras esterlinas, ou quase R$ 2 mil, por causar tumulto no povoado.

Em declarações à imprensa local, o alpinista disse que não tinha intenção de pregar um trote no serviço de emergência e que jamais imaginaria que a mensagem poderia ser vista por alguém.

"Não havia intenção de trote. A euforia definitivamente contou. Não há muitos dias como aquele nas montanhas, de neve fresca e grossa", afirmou Manchester segundo o "The Press and Journal".

"É muito constrangedor e estou cheio de remorso. Não escalei nenhuma montanha desde então."

De acordo com o jornal, após o incidente o alpinista escreveu à equipe de resgate desculpando-se pelo incidente e doando 50 libras (cerca de R$ 160).

Uma nova doação de 2 mi llibras - cerca de R$ 6,4 mil - teria sido oferecida ao serviço de emergência, mas um porta-voz da equipe de resgate teria dito que seria "injustificável" aceitar o dinheiro.

Sublinhando o caos que poderia ter sido criado com a "loucura" de Manchester, um porta-voz do serviço teria sugerido que os recursos fossem direcionados para o hospício local, informou o jornal. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.