Alto teor de enxofre fere a saúde

Na Europa e no Japão já se usa um diesel com 10 partes por milhão (ppm) de enxofre. Aqui no Brasil, porém, usa-se um diesel muito mais poluente.

Afra Balazina, O Estado de S.Paulo

11 de fevereiro de 2011 | 00h00

O material particulado que sai dos caminhões, por exemplo, irrita olhos, nariz e garganta, além de provocar tosse seca e cansaço nas pessoas. E quem já sofre com doenças pulmonares e cardiovasculares corre o risco de ter infarto do miocárdio e morrer prematuramente.

Até 2008, as regiões metropolitanas tinham um diesel com 500 ppm de enxofre e, no interior, usava-se diesel com 1,8 mil ppm. Uma norma do Conama obrigava que no Brasil todo fosse oferecido o diesel 50 ppm em 2009, o que não ocorreu. Por meio de um acordo entre governos, Ministério Público, montadoras e Petrobrás, ficou decidido que o diesel mais limpo seria introduzido gradualmente.

Segundo a Petrobrás, a partir de janeiro de 2012 o diesel com 50 ppm de enxofre será distribuído em postos selecionados de todo o País - para uso nos veículos novos. E, em 2013, passará a ser fornecido o diesel com 10 ppm. Veículos produzidos até 2011 continuarão a ser abastecidos com diesel mais poluente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.