Aluna será indenizada por insulto de professor em MG

A Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG) terá de indenizar uma aluna por danos morais. A auxiliar de vendas E.F.M., aluna do oitavo período do curso noturno de Administração de Empresas, foi insultada por um professor da instituição. Ela receberá R$ 5.450,00. A decisão foi divulgada hoje.

MARCELA GONSALVES, Agência Estado

14 Junho 2011 | 20h03

Os insultos foram feitos pelo orientador de seu trabalho de conclusão de curso. De acordo com a aluna, ele teria dito que o seu trabalho "estava horrível, uma bosta, um lixo", questionando como uma pessoa cursando nível superior poderia escrever "uma porcaria daquelas". A universitária afirmou ainda que em nenhum momento recebeu orientações precisas do professor em relação ao trabalho. Ela foi reprovada.

A PUC-MG posicionou-se a favor do funcionário e afirmou que a demanda não passava de inconformismo de aluna reprovada porque, embora a descrição de E. configurasse assédio moral, os fatos alegados não eram verdadeiros. A universidade declarou que, ainda que estivesse sob a orientação dele há dois semestres, a estudante nunca reportou problemas com o professor, queixando-se a apenas dois dias da entrega da monografia.

Para o relator do recurso, as ofensas ficaram provadas pelos depoimentos de testemunhas. "Embora não se possa retirar do docente o dever de corrigir os trabalhos que lhe são apresentados, criticando-os e orientando os alunos, a conduta dele não foi adequada para o meio acadêmico", afirmou em sua decisão.

Mais conteúdo sobre:
PUC MG indenização insulto professor

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.