Alunos da Unifesp decidem pedir afastamento de reitor

Em assembléia realizada ontem, estudantes da Universidade Federal de São Paulo decidiram convocar uma paralisação de alunos até amanhã e pedir o afastamento do reitor, Ulysses Fagundes Neto, que ontem admitiu ter feito compras pessoais com seu cartão corporativo. O reitor disse que errou, mas negou ter agido de má-fé. Fagundes Neto foi convocado a se explicar pela Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Cartões Corporativos do Congresso. Os estudantes encaminham hoje à reitoria da Unifesp nota solicitando formalmente o afastamento do reitor.A decisão dos estudantes foi tomada ontem à noite por cerca de 400 estudantes, segundo o coordenador-geral do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Unifesp, Tiago Cherbo. Hoje pela manhã, alunos do campus de Diadema decidiram aderir à paralisação na Unifesp. "As explicações do reitor não foram suficientes, ele não explicou nada até agora", disse Cherbo. A expectativa dos estudantes é ter um encontro com o reitor nesta sexta-feira, em reunião do Conselho de Entidades da Unifesp, que reúne o DCE, a associação de pós-graduandos, a associação de professores e o sindicato dos servidores. A reitoria ainda não confirmou o encontro.

MILTON F. DA ROCHA FILHO, Agencia Estado

17 de abril de 2008 | 09h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.