Alunos da USP pedem fim de convênio para deixar prédio

Os mais de 200 alunos que invadiram o prédio da administração Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), na Universidade de São Paulo (USP), na zona oeste da capital, na noite de ontem, só sairão após a revogação do convênio da universidade com a Polícia Militar.

SOLANGE SPIGLIATTI, Agência Estado

28 Outubro 2011 | 12h36

A informação foi repassada em nota pelo grupo, na manhã de hoje. De acordo com informações do Sindicato dos trabalhadores da USP (SINTUSP), uma assembleia está marcada para às 18 horas de hoje, no local, para decidir o rumo da manifestação.

Os alunos alegam que invadiram o prédio como demonstração de repúdio à ação da Polícia Militar, que, horas antes, abordou três alunos que portavam maconha, gerando com isso um quebra-quebra e confronto entre cerca de 300 universitários e PMs.

Mais conteúdo sobre:
USP invasão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.