Alunos de Administração miram carreira pública

Ser executivo de uma multinacional, viajar o mundo a trabalho, montar seu próprio negócio? Na lista de desejos dos estudantes de Administração, todas essas alternativas perdem para o interesse do estudante em empregos do setor público, que entre os benefícios, há a estabilidade de emprego e também crescimento por mérito. Este foi o resultado de um levantamento que ouviu 9 mil graduandos em todo o País. "Decidi pesquisar porque comecei a sentir um esvaziamento da procura no setor privado, ao mesmo tempo em que os concursos têm mais candidatos a cada edição", afirma Leandro Vieira, fundador do portal www.administradores.com, que reúne notícias e artigos sobre o setor e onde a pesquisa ficou acessível.

OCIMARA BALMANT, Agência Estado

10 de setembro de 2012 | 10h01

Do total de participantes, 33,6% pretendem prestar concurso público, 28,5% querem trabalhar para empresas privadas, 26,3% pensam em ser empreendedores e montar o próprio negócio e outros 7,43% gostariam de seguir carreira acadêmica. "É a busca pela estabilidade que, em alguns casos, faz com que a pessoa desconsidere o próprio sonho", diz Vieira.

Em outros casos, o que não era um sonho se torna um projeto de vida. Foi o que aconteceu com Oscar de Sousa. Hoje, aos 28 anos, ele já tem sete de emprego público. Quando entrou na Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo em Ribeirão Preto (FEA-RP), ele diz que tinha até aversão de pensar em prestar concursos.

Mas, estimulado pelos pais, prestou a prova para uma vaga na Caixa Econômica Federal. Entrou como escriturário, cresceu internamente, mais que quadruplicou o seu salário e hoje ganha mais do que a maioria dos colegas que optaram pela iniciativa privada. "Quebrei meus preconceitos ao ver que, numa empresa pública, a ascensão também se dá por competência. Hoje não penso em sair, só quero crescer ainda mais."

Não é o que pensa o estudante Bruno Evaristo de Souza Pereira. Ele tem 27 anos e está no último semestre do curso na FEA de São Paulo. Em sua lista de desejos, nada de concurso público, apenas as vagas de trainee de grandes empresas privadas. "Acredito que terei mais oportunidade de desenvolvimento pessoal e profissional", diz. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.