Alunos decidem sair da reitoria e manter paralisação

Pelo menos 400 estudantes decidiram desocupar a reitoria da PUC, invadida anteontem, mas manter a greve. Eles exigem que d. Odilo Scherer cancele a nomeação de Anna Cintra para a reitoria e ameaçam nova ocupação. Professores também apoiam a greve.

O Estado de S.Paulo

15 de novembro de 2012 | 02h08

Pela manhã, os estudantes marcharam até a sede da Fundação São Paulo, mantenedora da PUC, e fizeram um minuto de silêncio na frente do prédio. Apesar de nunca gozar de aprovação unânime durante a gestão, Dirceu foi recebido como herói pelos alunos. Ao microfone, agradeceu. "O que interessa é estar no coração dos alunos, professores e funcionários." À noite, foi simbolicamente empossado. "Entregamos a reitoria a quem foi eleito pela comunidade", disse um estudante. Mello aceitou a homenagem e foi aplaudido.

A reitora nomeada não quis comentar a razão pela qual aceitou o cargo, mesmo tendo assinado compromisso de rejeitá-lo caso não fosse a mais votada. A fundação divulgou nota em que defende a prerrogativa do cardeal. "A PUC-SP respeita o debate de ideias. No entanto, tem a responsabilidade de zelar pela integridade de seus professores, alunos e funcionários, e também de seu patrimônio", diz o texto. / CARLOS LORDELO e CRISTIANE NASCIMENTO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.