Alunos são excluídos por usarem celular

O segundo dia do Enem, ontem, registrou apenas problemas pontuais, assim como no sábado, primeiro dia do exame. Houve atrasos, protestos localizados e problemas com uso de celular.

O Estado de S.Paulo

24 de outubro de 2011 | 03h03

Três candidatos foram eliminados por acessar a rede social do Twitter, via celular, durante a realização do exame. No sábado, o MEC desclassificou oito estudantes pelo mesmo problema.

Em São Paulo, em uma das unidades da Unisa, em Santo Amaro, a polícia foi chamada pelo candidato Ananias Cruz, de 32 anos, que é portador de necessidades especiais. Ele e outra candidata, também portadora de necessidades especiais, foram impedidos de entrar após o fechamento dos portões. Eles alegam que teriam direito a um tempo extra.

Já em Salvador, no Centro Universitário Estácio da Bahia, uma tolerância de quatro minutos "salvou" sete candidatos de perder a prova - o último, vendo o portão fechando, largou sua moto no meio da rua e correu, com capacete, para dentro da faculdade. A moto foi retirada do local por uma policial militar.

Fiscal. No sábado, o repórter Paulo Saldaña, do Estado, trabalhou como fiscal recebendo treinamento duas horas antes do início do exame. Ele se apresentou em um local de prova às 8h e foi recrutado na porta. O repórter foi selecionado mesmo depois de declarar inexperiência nesse tipo de atividade - contrariando afirmações do MEC, de que apenas fiscais experientes, previamente treinados trabalhariam no exame.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.