''Amadureci, cresci muito''

Brasileira de 26 anos festeja título inédito conquistado ontem e a melhor temporada de sua carreira

Valéria Zukeran, O Estadao de S.Paulo

22 de outubro de 2009 | 00h00

Entrevista

Poliana Okimoto: campeã da Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas

Poliana Okimoto conquistou ontem, em Sharjah, Emirados Árabes Unidos, o título da Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas, distância de 10 quilômetros. A brasileira precisava apenas completar a prova em um tempo não superior a 30 minutos da marca estabelecida pela vencedora. Fez mais do que isso: ganhou a disputa, tempo de 1h58min17s56, deixando para trás a atual campeã olímpica, a russa Larissa Ilchenko, e a atual campeã mundial, a alemã Angela Maurer.

Abaixo, a nadadora, de 26 anos, que superou o medo do mar para chegar ao topo de sua modalidade, fala ao Estado sobre sua conquista e o melhor ano de sua carreira, pois em julho conseguiu medalha de bronze no Mundial de Esportes Aquáticos.

Como você está depois da conquista do título e com o fim da sua temporada?

Muito cansada, mas feliz. Foram 11 provas e só fiquei fora de uma por causa do Mundial, mas no fim deu tudo certo.

E a prova aí nos Emirados?

Foi difícil. Muita marola, vento, estava difícil de nadar. Não gosto nada desse tipo de mar. A gente tem de fazer muita força no braço e se lançar para superar uma condição dessa.

Você tem sido competitiva há várias temporadas, mas parece que na deste ano, em especial, você apresentou um progresso em termos de desempenho. Fez alguma preparação especial, física ou psicológica, que explique isso?

Acho que amadureci. Nos últimos anos cresci muito em termos de experiência. Nadei em todo tipo de água, com diferentes temperaturas e todo o tipo de vento. Com a experiência, você fica mais segura de si, sabe dos limites do próprio corpo e que o trabalho está sendo feito do jeito certo.

Esta é sua última prova da temporada ou ainda vai participar de algum evento?

É minha última prova. Vou tirar férias para depois retomar os treinamentos. Em janeiro já teremos em Santos a primeira etapa da Copa do Mundo e, antes disso, preciso me preparar.

Já tem a programação do ano que vem e para o ciclo olímpico?

Ainda não. Depois das férias teremos uma conversa com Correios (patrocinador), clube (Pinheiros) e Confederação (Brasileira de Desportos Aquáticos - CBDA) mas acho que a ideia é continuar o que estamos fazendo. Este ano, por exemplo, tivemos a oportunidade de fazer um treino em altitude e gostaria que isso fosse mantido pois no ano que vem teremos o Mundial em julho, no Canadá. Sobre olimpíada, vou fazer o planejamento depois das férias, mas gostaria de disputar os Jogos de Londres e, principalmente, seria orgulho disputar uma Olimpíada no meu País, em 2016.

Neste ano a CBDA cancelou a etapa do Rio da Copa do Mundo de piscina curta por falta de verbas. Teme que as maratonas não tenham o mesmo investimento em 2010 já que até a natação, que é prioridade, está em situação difícil?

Primeiro de tudo, acho que o pessoal da natação merece uma certa prioridade, afinal eles têm medalhas olímpicas e em Mundiais, porém acho que as maratonas também estão conseguindo seus resultados e por isso merecem investimento. Acredito que não teremos muitos problemas, porque necessitamos de investimentos muito menores do que os da natação. Não somos muitos atletas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.