Ambiente têm papel importante na dieta, diz estudo

Quantos M&Ms seriam o suficiente? Isso depende do quão grande a embalagem é. Pelo menos esse é um fator chave, diz um estudo que oferece novas evidências de que as pessoas levam em conta o ambiente ao seu redor para decidir quanto comer. Ele explica, por exemplo, porque pessoas que costumavam se satisfazer com uma lata de refrigerante podem agora achar que uma garrafa é a quantidade perfeita. É uma "unidade influente", a tendência de achar que um única unidade de alimento - uma garrafa, uma lata, um prato, ou outros tipos de medida - é a quantidade certa para se beber ou comer, propõem os pesquisadores. "Não importa o tamanho da banana, você a comerá inteira, seja ela grande ou pequena", disse Andrew Geier da Universidade da Pennsylvania. E "o que quer que seja servido no seu prato, parece gravado em nossas mentes: isso é uma refeição".A idéia geral é pouco nova para os especialistas em dieta. Eles apontam ao excesso de tamanho nas redes de fast food nas porções de restaurantes como uma das razões para a onda de obesidade nas últimas décadas. Eles sugerem algumas vezes que aqueles que estão de dieta usem pratos menores para reduzir a quantidade de comida que se assemelha a uma refeição.Mas na edição de junho da Psychological Science, Geier e seus colegas foram mais a fundo nas razões pelas quais as pessoas são tão influenciadas por essa idéia de unidade quando decidem quanto comer. De acordo com Geier, as pessoas aprendem o tamanho apropriado de uma unidade de alimento de suas culturas. Por exemplo, os potes de iogurte na França têm quase metade do tamanho de seus semelhantes americanos. Ainda assim, os consumidores franceses não compensam a diferença comendo mais potes de iogurte, assinalou. Ele e outros pesquisadores tentaram uma série de experimentos usando dicas ambientais para manipular as idéias das pessoas do quão grande uma unidade de comida é.Nesses experimentos, a "unidade influente" não foi a única coisa que produziu as diferenças nos níveis de consumo, mas teve influência, concluíram Geier e seus colegas.Algumas empresas de alimentos estão introduzindo no mercado produtos em embalagens de 100 calorias, e Geier acredita que isso poderia ajudar a deter o consumo de uma pessoa. Ele também suspeita de que as empresas poderiam ajudar deixando o número de porções por embalagem mais a mostra nos pacotes. Sobre o que aqueles que estão de dieta podem fazer por si mesmos, Geier disse que um de seus pacientes acima do peso ofereceu uma sugestão aos clientes de restaurantes: Peça que sua refeição seja dividida em duas partes na cozinha, com metade no seu prato e a outra metade embrulhada para ser levada para casa.

Agencia Estado,

31 de julho de 2006 | 19h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.