América Latina só é importante 'para 7% dos americanos'

Estudo mostrou que americanos querem conter imigração latino-americana.

Lourdes Heredia, BBC

29 de janeiro de 2008 | 10h25

Apenas 7% dos americanos acreditam que a América Latina é uma região importante para seu país, apontou uma pesquisa realizada pelo instituto Zogby International. O levantamento, publicado na segunda-feira, mostrou que para 43% dos entrevistados o Oriente Médio é a região mais importante para os Estados Unidos, seguida por Ásia (20%) e Europa (12%)."O resultado é surpreendente. É como se os americanos olhassem só para o leste e o oeste, e não para o norte ou sul", afirmou à BBC Mundo Fritz Wenzel, um dos envolvidos na pesquisa. O estudo mostrou ainda que a maioria dos entrevistados acredita que a política americana deveria concentrar-se na criação de novos empregos na América Latina para frear a imigração para os Estados Unidos.ImigraçãoQuando indagados sobre quais são os fatores que mais pesarão na hora de escolher o próximo presidente, em novembro, 76% responderam que a "imigração será um fator importante ou muito importante"."O fato é que a maioria dos entrevistados crê que a política externa americana para o hemisfério deve dar prioridade a frear a imigração", disse Peter Hakim, diretor do Centro de Estudos Diálogo Interamericano."Até os tratados de livre comércio são vistos cada vez mais com maus olhos", acrescentou Hakim.Segundo o relatório, 47% dos entrevistados consideraram que o Tratado de Livre Comércio da América do Norte (NAFTA, na siga em inglês) com o Canadá e México foi "negativo" para os Estados Unidos. PercepçãoPara os especialistas, diante do panorama eleitoral que se vive no país atualmente, é difícil que essa percepção mude. Ao contrário, dizem eles, pode até piorar. O relatório mostrou que o sentimento "anti-imigração" está afetando a percepção dos americanos sobre os países latino-americanos.O levantamento apontou que 61% dos entrevistados se sentem prejudicados com a remessa de dinheiro feita por imigrantes hispânicos, estejam eles legais ou não."As pessoas se sentem como se eles estivessem se aproveitando do país. Não acreditam que seja bom para a economia o fato de que haja dinheiro saindo do país", disse Wenzel. "Os números refletem a frustração contra o governo em Washington, que não está fazendo nada para resolver o problema."A pesquisa ouviu 7.106 adultos entre os dias 18 e 21 de janeiro.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.