Americano convence filho a se entregar após vê-lo na TV roubando loja

Jeremy Blair, de 26 anos, via TV com o pai quando programa policial mostrou imagens de roubo a loja de computadores.

BBC Brasil, BBC

13 Março 2012 | 09h12

Um americano convenceu o próprio filho a se entregar à polícia no Estado de Utah após vê-lo na TV participando de um roubo a uma loja de computadores, em imagens gravadas por câmeras de segurança.

Segundo a polícia da cidade de Wood Cross, pai e filho assistiam à TV juntos na manhã de sexta-feira quando um programa policial veiculou as imagens do assalto cometido no dia 6.

O pai reconheceu o filho, Jeremy Blair, de 26 anos, como um dos assaltantes e pediu que ele se entregasse.

Após algumas horas, o próprio pai levou o filho à delegacia local, onde ele foi preso por conta de um mandado relacionado a outra acusação de roubo. Ele aguarda agora as investigações sobre o incidente do dia 6.

"Este é um caso bastante único, de um pai reconhecer que o filho tem um problema", afirmou à mídia local o detetive Adam Osoro, do departamento de polícia de Wood Cross.

"Esta é uma coisa difícil de fazer, mas acho que no fim das contas é a melhor coisa para o filho e acho que o pai vê isso. Ele é um sujeito muito responsável", disse Osoro.

Danos

Segundo a polícia, os assaltantes levaram equipamentos avaliados em US$ 6.500 (cerca de R$ 11.700), mas provocaram também danos estimados em US$ 2.500 (cera de R$ 4.500) à fachada e à vitrine da loja.

As imagens das câmeras de segurança instaladas no local mostram dois ladrões, entre eles Blair, e o carro no qual eles fugiram.

Segundo o dono da loja, as câmeras haviam sido instaladas recentemente, após o terceiro roubo em três anos, o último deles há menos de seis meses.

Segundo a polícia, o segundo homem que aparece nas imagens ainda não foi identificado, e o material roubado ainda não foi recuperado. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.