Americano é julgado por organizar 'clube da luta' com deficientes

Suspeito trabalhava em escola para deficientes mentais; celular teria gravado imagens das lutas.

Andy Gallacher, BBC

12 Agosto 2009 | 05h12

Um ex-funcionário de uma escola estadual para deficientes mentais no Texas, nos Estados Unidos, está sendo julgado sob a acusação de ter organizado lutas entre os alunos da instituição.

A acusação contra Jesse Salazar se refere aos ferimentos sofridos por um deficiente no que a polícia do Texas chamou de "Clube da Luta", em referência ao filme estrelado por Edward Norton e Brad Pitt.

O caso veio à tona quando policiais encontraram um telefone celular em março com quase 20 vídeos mostrando os alunos socando e chutando uns aos outros.

Se for condenado, Salazar, de 25 anos, poderá cumprir pena de até 10 anos de prisão.

No início do julgamento, o júri foi advertido de que as evidências em vídeo seriam "uma das coisas mais tristes que eles jamais viram".

As imagens mostrariam os funcionários da escola estadual Corpus Christi forçando os residentes a participar das lutas, aparentemente para seu próprio entretenimento.

A defesa de Salazar alega que, na verdade, ele estava tentando impedir que as brigas ocorressem.

Outros seis ex-funcionários da escola já foram acusados por seu papel na organização das lutas.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.