Anac restringe operações de táxi aéreo em Congonhas

A partir de hoje, as operações das empresas de táxi aéreo ficam comprometidas no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo. Uma restrição da Agência Nacional de Aviação (Anac) proíbe os slots de oportunidades. Os slots são horários previamente aprovados para uma aeronave. Se uma companhia aérea cancela uma viagem, por exemplo, cria um slot de oportunidade, ou seja, um horário aprovado e não usado. As empresas de táxi aéreo aproveitam essas brechas para levar os clientes a seus destinos.?Sem os slots de oportunidade, a aviação geral (civil, não comercial) fica inviável em Congonhas?, diz o presidente da Associação Brasileira de Aviação Geral (Abag), Adalberto Febeliano da Costa. No Aeroporto de Congonhas, a aviação geral tem uma cota de quatro slots por hora que, apesar de serem insuficientes para o movimento do aeroporto, eram até agora compensadas com slots de oportunidade. ?Com essa nova restrição, seria necessário ter uma cota de dez slots?, diz Costa.O cancelamento também afeta os negócios das empresas de hangares, instaladas no Aeroporto de Congonhas. Há pelo menos 14 galpões ali. Em 1985, quando foi inaugurado o Aeroporto de Guarulhos, Congonhas ficou sem movimento. Chamar essas empresas foi a forma encontrada para aumentar o fluxo e o caixa do aeroporto. Hoje, elas são responsáveis por 1.709 empregos diretos. Os hangares oferecem, entre outros serviços, uma equipe que cuida de manutenção, limpeza e reabastecimento das aeronaves. Também viabilizam a infra-estrutura para a tripulação realizar tarefas básicas, como planejamento de vôo.Em Congonhas, os hangares atuais abrigam 148 aeronaves e prestam atendimento aos aviões que chegam de outras partes do País - que não são poucos. Estima-se que representem aproximadamente 30% do movimento da pista paulistana. Uma saída para os táxi aéreos seria migrar para o Aeroporto de Guarulhos. ?Mas em Cumbica só é permitido ficar no máximo duas horas no solo. Imagine um executivo de outra cidade que voa para uma reunião em São Paulo. Ele aterrissa em Cumbica e o avião tem de procurar outro aeroporto para estacionar. No fim do dia, a aeronave volta para buscá-lo?, explica Costa. ?Isso aumento o custo de combustível e o trânsito aéreo, que já é muito intenso.? As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.