Anac vai leiloar 433 aviões de sua propriedade

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) descobriu que é dona de uma frota de 433 aviões, a maioria monomotores usados para treinamento que estão espalhados por vários aeroclubes do País. A herança do antigo Departamento de Aviação Civil (DAC) será leiloada assim que a agência concluir a formatação jurídica para a venda dos aviões. Segundo sua assessoria de imprensa, a Anac está fazendo uma espécie de inventário de todas as aeronaves para verificar as condições de uso e o valor de cada uma.Cinco aviões estão no aeroclube de Luiziânia (GO). São mantidos no hangar um Ximango, dois Uirapurus, um Aero Boero e um PA 18. Um Uirapuru e o PA 18 estão parados para revisão. Os outros três são usados para treinamento de pilotos. Todos são cedidos pela Anac ao aeroclube. O Ximango foi o último a chegar, há quatro anos. Segundo a assessoria, os recursos obtidos no leilão vão reforçar os investimentos no programa de bolsas de estudos para pilotos. O primeiro programa será implementado nos aeroclubes do Rio Grande do Sul, em março. A Anac oferece bolsas de 75% do valor do curso, que será oferecido para alunos que tenham pelo menos nove horas de instrução anterior. A assessoria esclareceu que a Anac "estimula, incentiva e fomenta" a formação de novos pilotos, mas não tem interesse em manter os aviões como patrimônio, nem em ministrar os cursos.

LUCIANA NUNES LEAL, Agencia Estado

12 de fevereiro de 2008 | 19h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.